Buscar

A partir de qual idade a criança pode iniciar no karatê goju ryu seigokan?

Atualizado: 30 de Out de 2018

Não é novidade que a prática de esportes traz diversos benefícios para a saúde das crianças. Alguns, no entanto, vão além dos benefícios físicos e influenciam também o desenvolvimento emocional e intelectual, e quando praticados desde a infância tendem a deixar esse “legado” por toda a vida. É o caso do Karatê.


Diante dos tantos benefícios oferecidos pela prática do Karatê, pais e responsáveis tem enfrentado a seguinte dúvida: “Com qual idade meu filho pode iniciar a praticar Karatê?”.

Para sair do “achismo”, fui buscar informações em literatura e estudos acadêmicos a fim de oferecer uma resposta que unisse a experiência no Dojo e o conhecimento científico.


Esses estudos deram origem a este post, ao qual espero ser esclarecedor em relação a essa dúvida tão comum.



Pois bem, sendo bem objetivo, se levarmos em conta aspectos relativos ao desenvolvimento motor e cognitivo, podemos considerar que a partir dos 4 anos de idade (fase inicial da segunda infância, que vai dos 3 à pré-adolescência) a criança já tem condições de realizar os treinamentos e responder, proporcionalmente à sua idade, ao que é ensinado.


Os primeiros anos de vida são decisivos na formação da criança. Nesse período, acontece a construção de sua identidade e de grande parte de sua estrutura física, social, afetiva e intelectual.


Em relação ao desenvolvimento motor, nesta fase da vida a criança já consegue pular, girar, parar, arrancar, observar, correr, etc., habilidades que as aulas de Karatê ajudam a desenvolver, contribuindo bastante para seu crescimento saudável, coordenação motora e qualidade de vida.


“A criança, ao se deparar com novas informações precisa adaptar-se também ao novo ambiente, para que atinja nível proficiente no seu desenvolvimento geral. Para incorporar essas novas informações, o indivíduo se ajusta para corresponder às exigências das mesmas, apresentando uma mudança visível no comportamento.” (GALLAHUE & OZMUN, 2001).


Em relação ao desenvolvimento cognitivo, nessa idade as crianças já são capazes de lidar com contagens simples e quantidades e, apesar de ainda não possuírem o pensamento lógico amadurecido, conseguem relacionar contagens e orientações para execução dos movimentos.


Nessa fase também, começam a lidar com seus sentimentos, iniciando a capacidade de desenvolver empatia, isto é, colocar-se no lugar do outro. Começam, ainda, a desenvolver o entendimento de causa e efeito.


Outro ponto importantíssimo é que nesta fase a criança já começa a desenvolver sua identidade e a entender o que ela representa no mundo, iniciando assim, o aperfeiçoamento do seu autoconhecimento. Esse fator psicossocial impactará diretamente na formação da sua autoestima, que é o julgamento que faz a respeito de si mesma. E o Karatê vai fortalecer ainda mais esse aspecto em sua vida.


“Alguns estudos vêm mostrando a influência positiva da prática do Karatê-do em vários aspectos na vida das crianças praticantes (ALMEIDA; SILVA, 2010; NUNES; FRANZOI, 2010; ARANHA, 2006; FIGUEIREDO, 2003). É fácil de compreender como os valores enfatizados na prática desta disciplina podem ser usados em cada momento da vida de forma a enfrentar os estudos, relações interpessoais e todos os tipos de obstáculos com a serenidade originada na confiança nas suas próprias capacidades e no respeito por si próprio e pelos outros, indicação segura de uma profunda maturidade interior” (FIGUEIREDO, 2003)


Diante do que foi apresentado acima, adotamos os 4 anos de idade como aceitável para o início da prática do Karatê Goju Ryu Seigokan, de preferência, em turma com alunos de idade próxima a sua, uma vez que é importante trabalhar nas aulas o lado lúdico para que a criança possa absorver não apenas as técnicas, mas os conceitos filosóficos do Karatê de forma “homeopática”.


E se estiver em Campos dos Goytacazes, vem treinar com a gente. Será um prazer receber você.


E em caso de dúvidas, entre em contato. Oss!


Sensei Rey Araújo

Faixa Preta, 1º Dan

GSKB - Goju Ryu Seigokan Karatê-do Brasil


Referências

GALLAHUE, D.L.; OZMUN, J.C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 1° São Paulo: Phorte, 2001.

FIGUEIREDO, A. O Karatê Infantil e o Desenvolvimento Lúdico. Trabalho desenvolvido no módulo específico fundamental: didática do karatê. Porto, 1994.

ALMEIDA, M.O.; SILVA, R.F. Atividade motora adaptada e desenvolvimento motor: possibilidades através das artes marciais para deficientes visuais. In: Movimento & Percepção, Espírito Santo do Pinhal, SP, v. 10, n. 14, Jan./jun. 2009

Criado por LGR marketing  -  Todos os direitos reservados   -  2018

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon